Carta aberta da Marcha da Maconha São Paulo de desconvite a Polícia Militar

11/05/15

Carta aberta da Marcha da Maconha São Paulo de desconvite a Polícia Militar

Como já é tradição, a Marcha da Maconha sairá às ruas esse ano pelo fim da guerra às drogas e em defesa da (urgente) legalização. No dia 23 de maio, sob o tema “Pela liberdade d@s noss@s pres@s, em memória aos noss@s mort@s – Legalize”, reivindicaremos as sementes no lugar das correntes e a legalização da produção, distribuição e uso da planta no Brasil para seus mais variados fins.

Nossa luta é, no fundo, por liberdade. Liberdade de decidir o que fazer com nosso próprio corpo, liberdade de andar na rua sem ser pres@ ou mort@, de fazer um debate franco e aberto com a sociedade, liberdade em relação a uma política proibicionista que mata e prende negros, jovens, “suspeitos”, liberdade de uma política que não traz alento para quem precisa. Pois nada mais coerente, portanto, que a gente queira que nossa manifestação aconteça também livre; livre da investigação, da tutela e da presença (ostensiva ou repressiva) da polícia – instituição que, aliás, faz o trabalho sujo da guerra que tanto combatemos.

“Que coincidência: não tem polícia, não tem violência”

Assim, estamos divulgando essa carta aberta que, pacífica como nossa manifestação, pretende deixar registrado que desconvidamos a polícia para a nossa Marcha da Maconha.

Por um lado, qualquer retrospectiva atenta pode observar que a própria PM, apesar do discurso de estar ali “para fazer nossa segurança”, é quem inicia os episódios de violência em grande parte dos atos de rua – chame de tropa de braço, de robocop, de pacificadora ou do que seja.

Por outro, ainda que não tivéssemos uma das polícias mais sanguinárias do mundo, a ideia de que “é nois por nois”, de que da segurança da manifestação devem cuidar os próprios manifestantes, é também algo que queremos enquanto um princípio de autonomia e mesmo de construção, passo a passo, daquele outro mundo que queremos.

Já basta de guerra. Por uma Marcha da Maconha onde caibam muitos rostos e causas, e onde as flores vençam o canhão.

Marcha da Maconha São Paulo.
Legalize.

Maio de 2015

12/05/15 18:11
VinaKnup:

(A)

 
22/06/16 19:24
aridjaime da silva souza:

vamos fazer uma marcha da maconha em piracicaba , o que é preciso ??

 
30/03/17 22:07

Pegar o manual do organizador [na home do site] e marcar reunião de organização. Formar coletivo de representação, definir data e local, avisar as autoridades e panfletar pela cidade.